O banco Santander Brasil registrou lucro líquido societário de R$ 3,811 bilhões no 3º trimestre, um salto de 88,2% em relação aos três meses anteriores e de 5,6% na comparação com o 3º trimestre do ano passado, segundo balanço divulgado nesta terça-feira (27).

Já o lucro gerencial, que exclui fatores extraordinários, alcançou R$ 3,902 bilhões, uma alta trimestral de 82,7% e de 5,3% na comparação anual.

No acumulado nos 9 meses do ano, o lucro do banco ainda segue em patamar abaixo do registrado em 2019. O lucro líquido societário soma R$ 9,611 bilhões, valor 7,9% menor em relação ao mesmo período do ano passado. Já o lucro gerencial soma R$ 9,891 bilhões, uma queda de 8,65%.

O resultado do 3º trimestre, no entanto, ficou acima do registrado entre julho e setembro do ano passado, quando o Santander Brasil registrou lucro líquido de R$ 3,608 bilhões, e veio acima do esperado pelo mercado, destaca o Valor Online.

 

Margem financeira e receitas

 

O terceiro maior banco privado do país em ativos contabilizou margem financeira bruta de R$ 12,432 bilhões no terceiro trimestre, o que representa queda de 8,7% em três meses e avanço de 6,5% na comparação anual. As despesas líquidas com provisões para devedores duvidosos (PDD) ficaram em R$ 2,916 bilhões, com queda de 12,5% ante o trimestre anterior e alta de 3,4% em relação ao terceiro trimestre de 2019.

 

A margem com clientes foi de R$ 10,533 bilhões, com queda de 4,5% na comparação trimestral. Dentro dessa linha, a margem com produtos caiu 4,4%, a R$ 10,207 bilhões, enquanto a margem com capital de giro próprio encolheu 7,0%, a R$ 326 milhões. O volume médio ficou em R$ 397,081 bilhões, com alta trimestral de 1,3%, mas o spread caiu 0,7 ponto porcentual, para 10,2%.

Já a margem de operações com o mercado ficou em R$ 1,899 bilhão, com queda trimestral de 26,7%.

As receitas de prestação de serviços e tarifas bancárias atingiram R$ 4,746 bilhões, com queda anual de 0,1%. No trimestre, houve alta de 15,7%. As despesas gerais totalizaram R$ 5,375 bilhões, com alta de 2,2% em um ano ano e de 3,6% no trimestre, explicada por maiores despesas administrativas.

retorno sobre o patrimônio (ROE) ficou em 21,2% no terceiro trimestre, de 12% no segundo e 21,1% no terceiro trimestre do ano passado.

 

Carteira de crédito avança

 

carteira de crédito total somou R$ 397,385 bilhões no acumulado do ano, 19,8% superior ao mesmo período do ano anterior. Em três meses, registrou alta de 3,8%, impulsionada pelos segmentos pessoa física (+5,1%) e pequenas e médias empresas (+14,6%).

"Nossa participação de mercado em crédito alcançou 10,4% em agosto de 2020, alta de 0,67 p.p. em doze meses e retração de 0,15 p.p. em três meses", informou o banco.

O índice de inadimplência superior a 90 dias atingiu 2,1% em setembro, queda de 0,9 p.p. em 12 meses e de 0,3 p.p em 3 meses.