Quadrilha foi presa durante Operação Acinte II

A Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira (5), em Betim, uma quadrilha suspeita de causar prejuízo superior a R$ 1 milhão no sistema do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A prisão ocorreu na operação Acinte II, realizada em conjunto com o Núcleo de Inteligência Previdenciária e Trabalhista de Minas Gerais.

Segundo as investigações da PF, a associação criminosa realizava as fraudes, mediante criação de pessoas fictícias e falsificação de documentos, como certidões de nascimento, identidade, comprovantes de residência, títulos de eleitor, com o objetivo de fraudar o INSS e obter os benefícios de amparo a idosos de baixa renda.

A partir desta operação, foi possível identificar outros integrantes do grupo criminoso, presos nesta data, que serão autuados pela prática dos crimes de estelionato qualificado e associação criminosa, cujas penas de reclusão podem passar de nove anos, se condenados.

Foram cumpridos quatro mandados de prisão preventiva (sem prazo de duração) e seis mandados de busca e apreensão, expedidos pela 9ª Vara Federal da Seção Judiciária de Minas Gerais e cumpridos na cidade.

Foram feitas, também, a apreensão de cinco veículos e o sequestro de valores em duas contas bancárias. Durante a operação, foram apreendidos aparelhos
de telefone celular, 20 chips e documentação falsificada.

Além dos valores contabilizados, a Polícia Federal afirma ter evitado um prejuízo de mais de R$ 3,5 milhões aos cofres, com a prisão do grupo
criminoso.