Ter gatos em casa é tudo de bom. Eles são fofinhos, brincalhões e independentes, ideais mesmo para quem vive em espaços pequenos ou com pouco tempo livre. No entanto, um tutor responsável é aquele que sabe que os felinos também precisam de cuidados que garantam sua saúde e bem-estar.

Todo pet deve fazer um check-up veterinário, pelo menos, uma vez ao ano e tomar as vacinas indicadas para sua idade. Isso garante a prevenção e o diagnóstico precoce das principais doenças que podem comprometer sua qualidade de vida. 

 

Além disso, os gatos pedem cuidados específicos. Se você cuida de algum ou pretende adotar, precisa saber quais são eles.

Limpe a caixinha de areia

 

Uma das vantagens dos gatos é que eles são higiênicos, mas isso também quer dizer que podem ser exigentes, se recusando a usar caixinhas sujas. Eles estão certos, pois, a higiene tem tudo a ver com a saúde deles.

O tutor de um gato deve ter o compromisso de manter a caixinha de areia, em que o animal faz xixi e coco, sempre limpa. O ideal é retirar as fezes todos os dias e usar areias que facilitem a remoção do excesso de urina, o que também previne o mau cheiro no ambiente.

 

Escove os pelos

Dar banho nos felinos ou não é outro tema controverso e depende, basicamente, de uma escolha do dono, que deve levar em conta os hábitos do animal. No entanto, uma recomendação é consenso: os pelos devem ser escovados periodicamente.

O hábito previne que o animal engula muitos fios ao se lamber, formando as bolas de pelo, que podem causar vários problemas e assustar os donos quando expelidas. Isso sem falar que ter essa rotina ajuda a diminuir a quantidade de pelos que o gato solta pela casa.

Este também pode ser um momento de carinho entre você e o pet, ajudando a identificar se há algo errado, como a presença de parasitas. O ideal é que ele seja acostumado à escovação desde pequeno, para que não fique estressado com o procedimento.

Castre o animal

Algumas pessoas ainda questionam esta recomendação, mas a verdade é que ela é uma regra básica da tutoria responsável. Este é um cuidado fundamental para manter a saúde do animal, especialmente, se ele vai ser criado em um ambiente fechado.

Gatos castrados costumam ser mais calmos, menos estressados e ansiosos, o que diminui as chances de fugas. Evitar as famosas saidinhas é um ótimo jeito de prevenir a FIV e a FeLV, duas doenças graves que os gatos correm o risco de contrair na rua.

O procedimento também evita a gravidez e os problemas com o cio, além de prevenir a formação de certos tumores e infecções nas fêmeas. O ideal é que ele seja feito quanto antes, assim que o desenvolvimento do animal já permitir a cirurgia, que é simples e rápida.

Cuide da alimentação

O jeito mais seguro de providenciar todos os nutrientes que um gato precisa é com a ração. No entanto, é importante que o tutor fique atento às informações dos rótulos, para garantir que o alimento escolhido seja o ideal para a idade e a pelagem do seu felino.

É importante verificar se a marca não excede a quantidade recomendada de sódio e conservantes que, a longo prazo, podem fazer mal para a saúde do pet. Outro ponto é ficar atento à porção recomendada por dia, para prevenir o sobrepeso.

Brinque com o felino

Tirar alguns minutos do seu dia para interagir com o gato e estimular certos exercícios também é importante para evitar a obesidade e garantir a saúde emocional do seu bichinho. Isso sem falar que esse momento é muito gostoso e serve para aproximar os felinos dos tutores.