Por Lívia Torres, Bom Dia Rio

 


Polícia Civil cumpre mandados de prisão em operação contra desvios e fraudes na Saúde de Arraial do Cabo, no RJ — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Polícia Civil cumpre mandados de prisão em operação contra desvios e fraudes na Saúde de Arraial do Cabo, no RJ — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Hospital de Búzios é um dos alvos de mandados de busca e apreensão em operação contra desvios e fraudes na Saúde de Arraial do Cabo, no RJ — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Hospital de Búzios é um dos alvos de mandados de busca e apreensão em operação contra desvios e fraudes na Saúde de Arraial do Cabo, no RJ — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Em nota, a Prefeitura de Arraial do Cabo informou que a ação faz parte de uma investigação do ano de 2017 e apura possível envolvimento de ex-funcionários da secretaria de Saúde. O município disse ainda que "desde o início da investigação a secretaria tem colaborado com a Polícia Civil e com o Ministério Público prestando todas as informações solicitadas bem como apresentando todos os documentos".

A secretaria de Saúde informou que a procuradoria da secretaria acompanhou a diligência no Hospital Geral, que buscava apreender documentos e contratos das empresas investigadas.

 

Investigações

 

De acordo com a investigação da Polícia Civil, o laboratório Mega Lagos foi contratado em caráter emergencial, em janeiro de 2017, por seis meses, para realizar exames no Hospital Geral de Arraial do Cabo e em todos os postos de saúde da cidade.

No entanto, segundo a polícia, durante esse período, a empresa não prestou atendimento nos postos e realizou apenas alguns exames emergenciais nos pacientes internados no hospital. Apesar disso, cobrou e recebeu da Secretaria Municipal de Saúde por milhares de exames que sequer estavam disponíveis.

As investigações apontaram que, após o término do prazo emergencial, em junho de 2017, a Mega Lagos continuou atuando em Arraial do Cabo e recebendo pagamentos, até dezembro de 2018, sem ter nenhum contrato firmado com a administração municipal.

Somente em janeiro de 2019, a Secretaria Municipal de Saúde realizou uma licitação, através da qual foi contratada a Masther Lab, que pertence aos mesmos donos da Mega Lagos: os empresários Cláudio Luiz de Oliveira da Silva e Angélica Santos Lameiras, também alvos da operação.

 

 

VÍDEOS: os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias

 

20 vídeos
Vídeo mostra momento em que candidato a vereador é baleado em Guarulhos, SP
Eleições Americanas: Por que a contagem dos votos demora tanto?Joe Biden faz discurso da vitória como presidente eleito dos EUA